sexta-feira, 27 de março de 2015

Alpalhão surpreende com 45 dadores de sangue







Pela positiva fomos contagiados pela alegria extravasada pelo Presidente da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP. E não é caso para menos! Pois a brigada, levada a efeito no primeiro sábado primaveril, foi em Alpalhão. Esta é a terra natal de António Eustáquio e a dinâmica conseguida foi relevante em termos dos voluntários presentes. E foram ainda seis os novos dadores que compareceram. A iniciativa decorreu da melhor forma possível e, quando assim é: “ficamos satisfeitos e o esforço desenvolvido pela ADBSP é compensado”, refere o Presidente que deixa, ainda, palavras de esperança neste tempo Pascal.
À sede do Grupo Ciclo Alpalhoense compareceram 45 pessoas, 16 dos quais do sexo feminino. Aplicados os exames de saúde só duas pessoas não puderam repartir o seu sangue.
Na grande família dos dadores entraram uma mulher e cinco homens, a maioria jovens. Quanto ao Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea foram mais dois os que passaram a inclui-la.
O Almoço convívio foi apoiado pela Junta de Freguesia de Alpalhão e servido na Feira dos Enchidos desta terra do Concelho de Nisa.
Arronches
As iniciativas da ADBSP decorrem aos sábados, da parte da manhã. A 11 de Abril estaremos na sede do Rancho Folclórico de Arronches. E a 18 de Abril marcamos encontro nas instalações do Grupo Desportivo Cultural e Social de Vale Cavalos (Freguesia de Alegrete). Em tempo primaveril: não tem desculpas se não nos visitar num destes sábados!
Uma Boa Páscoa para todos! São estes os votos da nossa Associação.
JR

quinta-feira, 26 de março de 2015

Lançamento do livro "Alpalhão, Património Histórico e Artístico"

A Junta de Freguesia de Alpalhão e a Liga dos Amigos de Alpalhão convidam todos os amigos de Alpalhão a estarem presente no dia 4 de Abril de 2015 pelas 16.00H no Centro Cultural Professor José Maria Moura, para o lançamento do Livro " Alpalhão Património Histórico e Artístico". A sessão pública contará com a presença do Professor Vítor Serrão.

quarta-feira, 25 de março de 2015

OPINIÃO: Desemprego é crime?

 Instituto de Emprego apenas sabe perseguir pessoas
Para receberem o subsídio a que têm todo o direito, os 740 mil desempregados registados em Portugal passam autênticas provações.
Estas são infligidas pelo IE, cuja missão seria apoiá-los, canalizando-os para uma nova função compatível com as suas competências profissionais. Mas o IEFP entretém-se a humilhá-los e a tratá-los como se fossem malandros que não querem trabalhar.
Desde logo, os beneficiários do subsídio têm de atestar a permanência na sua morada oficial, como se fossem arguidos obrigados a termo de identidade e residência.
Esta condição é atestada pelas juntas de freguesia, a que os desempregados acorrem num calvário burocrático, cansativo e inútil.
Além do mais, os desempregados estão ainda obrigados à “procura activa de emprego”, devendo demonstrar que envidam esforços para conseguir emprego, missão que deveria ser responsabilidade do IEFP. Como não há criação de postos de trabalho, os cidadãos vítimas de desemprego limitam-se a ir às empresas implorar que estas atestem a sua candidatura a um lugar para o qual não têm apetência ou que nem sequer existe. Obtido o documento, segue o papel para o IEFP. Assim, finge-se a procura de emprego, as empresas fingem entrevistá-los e o IEFP finge que fiscaliza.

Com este tipo de práticas, o IEFP falha completamente a sua missão. Não sabe lidar com o problema do desemprego, apenas sabe perseguir pessoas. O IEFP, bem como este sistema de gestão do desemprego, faliu. Urge encontrar um novo modelo. Que poderá eventualmente passar pelos sindicatos, à semelhança doutros países. Poderiam ser estes a pagar o subsídio de desemprego, desde que recebessem as comparticipações respectivas dos trabalhadores. Estes passariam a ser maioritariamente associados, renovando-se o movimento sindical, hoje reduzido a menos de quinze por cento da força laboral.
Neste novo sistema, os sindicatos deixariam de defender apenas os direitos dos empregados e passariam também a pugnar pelo direito ao emprego de todos os activos. Finalmente, em cada sector, elevadas taxas de empregabilidade garantiriam maior força aos sindicatos, a sua sustentabilidade económica e a sua independência.
Paulo Morais – Vice-presidente da Associação Cívica Transparência e Integridade

segunda-feira, 23 de março de 2015

33ª Volta ao Alentejo em Bicicleta de 25 a 29 de Março

Maior pelotão de sempre: 23 Equipas discutem “Alentejana”
Na planície, nas serras e no litoral
por entre searas, sobreiros, vinhas e olivais!
De 25 a 29 de março, a 33ª Volta ao Alentejo em Bicicleta Liberty Seguros vai regressar às estradas e ao coração dos alentejanos. São cinco etapas numa organização conjunta entre Podium e CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central. Do norte alentejano à Cidade Europeia do Vinho 2015 somam-se mais de 800 quilómetros de corrida. Com 23 equipas pré inscritas, este será o maior pelotão que alguma vez já discutiu o triunfo na “Alentejana”. Entre os cerca de 180 homens que vão iniciar a competição nenhum consta na lista de vencedores, facto que vai prolongar o insólito e curioso caso desportivo que a Volta ao Alentejo representa no mundo das provas por etapas. Em 33 edições a prova vai conhecer, este ano, o trigésimo terceiro vencedor.
Joaquim Gomes, diretor técnico da prova, mostra-se satisfeito por, uma vez mais, levar a caravana a grande parte da região. “Conseguimos, fruto da forte identidade regional, criar uma mancha competitiva do alto ao baixo Alentejo. Toda a região está incluída no percurso.” Para o responsável pela organização, as planícies alentejanas não são impeditivo para “agitar” o pelotão. “O Alentejo tem características muito particulares. Nesta prova não conseguimos ter a Alta Montanha, característica de uma Volta a Portugal, mas não deixa de ser uma prova, em termos competitivos, muito mexida. Quando se pensa que a Volta ao Alentejo está destinada a sprinters há sempre surpresas, nomeadamente nas fugas.”
Norte Alentejano à partida…

Ao meio dia de quarta-feira, dia 25, acontece em Portalegre a partida inaugural da edição 2015 da “Alentejana”. Uma hora e meia antes vão começar a chegar à Avenida da Liberdade, as 23 equipas que este ano vão formar o pelotão da prova, o maior de sempre. No primeiro dia cerca de 180 homens, que vão pedalar 143,7 quilómetros até terminarem em Castelo de Vide. Esta primeira etapa, uma das mais curtas, poderá ser uma das mais duras com a travessia da Serra de São Mamede onde haverá dois Prémios de Montanha no último terço da tirada: a subida de 2ª categoria em pleno Parque Natural e uma contagem de 3ª categoria na Sra. da Penha. As Metas Volantes estarão instaladas no Crato (km 16,6), Alter do Chão (km 29,9) e Monforte (km 57,2). A chegada está prevista para as 15h45 no empedrado da Rua Bartolomeu Álvares da Santa, próximo da Câmara Municipal de Castelo de Vide. 
Conhecida a primeira Camisola Amarela Liberty Seguros, a pitoresca e medieval vila de Castelo de Vide será novamente cenário da Volta ao Alentejo mas, desta vez, na partida da segunda etapa. A caravana concentra-se a partir das 10h45 na Praça D. Pedro V. O tiro de partida vai ouvir-se pouco depois do meio-dia (12h05) e pela frente os corredores terão 152,5 quilómetros com Metas Volantes em Nisa (km 25,5), Ponte de Sôr (km 77,3) e Avis (km 106,1). O fim da etapa, por volta das 16 horas, vai acontecer no Terreiro da Misericórdia, em Mora, município da bacia hidrográfica do Tejo.
Para o terceiro dia, a começar em Portel, está reservado o maior trajeto da 33ª Volta ao Alentejo Liberty Seguros. A partir das 10 horas a concentração da caravana vai, com certeza, movimentar o centro da vila até às 11h20 quando se iniciarem os 189,6 quilómetros da terceira etapa que novamente não terão dificuldades de montanha. A tirada irá terminar na vila raiana de Mértola e será animada com as Metas Volantes de Viana do Alentejo (km 26,8), Vidigueira (km 56,9) e Aljustrel (km 116,5). Cerca das 16 horas, a vila banhada pelo Guadiana, irá assistir à chegada das bicicletas na Avenida dos Bombeiros.
Com a entrada no fim de semana e depois de ter subido serras e cruzado a planície, a 33ª Volta ao Alentejo Liberty Seguros vai chegar ao litoral alentejano. O dia de sábado, 28 de março, começa numa das mais antigas povoações de Portugal, Aljustrel onde, às 11 horas, se vai concentrar a caravana. A partida para os 143,7 quilómetros da quarta etapa será dada na Avenida 1º de Maio, às 12h15. Neste dia a “Alentejana” vai ter Metas Volantes na passagem pelo Cercal (km 55,5), Santiago do Cacém (km 84,2) e Grândola (km 111,5). Será na Serra de Grândola que se vai discutir o terceiro e último Prémio de Montanha desta Volta quando ao quilómetro 120,7 os corredores treparem uma subida de 3ª categoria. Faltarão, nesse momento, pouco mais de duas dezenas de quilómetros para a chegada a Vila Nova de Santo André prevista para pouco antes das 16 horas. A meta final nesta cidade do município de Santiago do Cacém será instalada na Avenida de Sines.
Equipas participantes

…Reguengos de Monsaraz à chegada
O derradeiro dia de competição, domingo, 29 de março, começa, tal como em 2014, muito perto do rio Sado, em Alcácer do Sal. Às 10 horas a caravana começa por concentrar-se junto ao tribunal ainda que os corredores comecem a pedalar apenas às 11h20. As Metas Volantes de Montemor-o-Novo (km 44,4), Arraiolos (km 66,4) e Vila Viçosa (127,4) são pontos de interesse num traçado com 175,1 quilómetros que vão terminar em Reguengos de Monsaraz, Cidade Europeia do Vinho 2015. A meta, instalada na Praça da Liberdade, será abordada cerca das 15h50, e então nesse momento, após os 804,6 quilómetros totais de competição, será conhecida a identidade do melhor corredor da 33ª Volta ao Alentejo Liberty Seguros.
Últimos Vencedores
2014 - Carlos Barbero (Euskadi)
2013 - Jasper Stuyven (Bontrager Cycling Team)
2012 - Alexey Kunshin (Lokosphinx)
2011 - Evaldas Siskevicius (Pomme Marseille)
2010 - David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira)
2009 - Maxime Bouet (Agritubel)
2008 - Hector Guerra (Liberty Seguros)
2007 - Manuel Vázquez (Andalucia Cajasur)
2006 – Sérgio Ribeiro (Barbot-Halcon)
2005 – Xavier Tondo (Catalunya-Angel Mir)
Resumo Etapas
1ª Etapa - 25.03.2015 - Partida Simbólica: 12h00 - Portalegre / Castelo de Vide – 143,7km
2ª Etapa - 26.03.2015 - Partida Simbólica: 12h05 – Castelo de Vide / Mora – 152,5km
3ª Etapa - 27.03.2015 - Partida Simbólica: 11h20 - Portel / Mértola – 189,6km
4ª Etapa - 28.03.2015 - Partida Simbólica: 12h15 - Aljustrel / Vila Nova de Santo André – 143,7km
5ª Etapa - 29.03.2015 - Partida Simbólica: 11h20 - Alcácer do Sal / Reguengos de Monsaraz – 175,1km

A 33ª Volta ao Alentejo Liberty Seguros é uma organização conjunta da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e Podium com o apoio de Liberty Seguros, Crédito Agrícola, Delta Cafés, RTP, KIA, VITALIS, KTM Bikes, Fundação INATEL, AVIS, Reguengos de Monsaraz Cidade Europeia do Vinho 2015, Jornal A Bola, Antena1, Cision, PACTO, Shimano, Dietsport, ADWAY, Instituto Geográfico de Exército, Turismo do Alentejo e dos Municípios de Portalegre, Castelo de Vide, Mora, Portel, Mértola, Aljustrel, Junta de Freguesia de Vila Nova de Santo André, Santiago do Cacém, Alcácer do Sal e Reguengos de Monsaraz.