quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Évora a improvisar com um grande nome do jazz português

 Curso de Música Improvisada com Vasco Agostinho
Como tocar música improvisada em conjunto? Como preparar um repertório? Qual o papel de cada instrumento? Que recursos são necessários para tocar num grupo?
Estas e outras questões serão abordadas e respondidas em três sessões dinamizadas por um grande nome da guitarra e do jazz português: Vasco Agostinho, que tendo já lecionado no Hot Clube de Portugal e colaborado como músico com nomes como Albert Bover, Carlos Azevedo, Bernardo Sassetti, Chris Higgins, Ed Howard, Mário Franco, Carlos Barreto, António Sanches, Akiko, Danny Silva, David Murray, Toumani Diabaté, entre tantos outros, gravou também diversos discos dos quais se destaca “Fresco”, com o seu quarteto, e “Tu Não Danças” com o quinteto de Rui Teixeira.
O Curso de Música Improvisada está agendado para os dias 8 de outubro, 12 de novembro e 10 de dezembro, das 15h00 às 19h00, no Espaço Celeiros.
O curso está vocacionado para qualquer pessoa que saiba tocar um instrumento e que deseje explorar a auto-suficiência, tanto individualmente como em grupo, adquirindo os recursos necessários para improvisar numa “Jam Session”.
Cada sessão terá o custo de 20€, e as inscrições podem ser realizadas até 24 horas antes da data de cada sessão. Para mais informações contactar: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com,  913 742 993 ou consultar o site da Associação PédeXumbo.
Sobre a Associação Pédexumbo:

A PédeXumbo trabalha desde 1998 na promoção da música e dança de raiz tradicional. Uma equipa profissional dedica-se à recuperação destas práticas culturais, através de registos, coproduções, criação artística, investigação, formação de formadores e ensino informal destinado a todas as idades. Mais do que perpetuar relíquias, a PédeXumbo propõe-se a reavivar hábitos sociais de viver a música, reproduzindo bailes tradicionais participados por novas gerações que se inspiram em práticas antigas.
No seu próprio espaço, em Évora, programa regularmente oficinas de dança, música, concertos, bailes e tertúlias para vários públicos. Organiza festivais em todo o país, tendo especial notoriedade o Andanças. Dinamiza aulas regulares de dança junto de escolas e jardins de infância, projetos comunitários de educação artística, e promove ações de formação que exploram diversas vertentes das danças de raiz tradicional.
Contando com diversas parcerias internacionais, tem ainda um papel pioneiro na criação artística de novos formatos de baile, explorando conceitos de danças sociais, interatividade, ritual, criatividade, contemporaneidade,tradição. Dinamiza, em colaboração com instituições universitárias, um setor de investigação etnocoreológica, tendo editado diversos livros e documentários.