quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

ALANDROAL: XIV Passeio TT "Aranhóis do Asfalto"


CASTRO VERDE: 4º Grande Prémio de Atletismo





No dia 8 de janeiro de 2017, Castro Verde recebe, a partir das 10h00, a 4ª edição do Grande Prémio de Atletismo do Campo Branco, uma prova de circuito urbano com início na Praça da República, à qual se associa a realização, em simultâneo, do Campeonato Distrital de Estrada 2017.
Organizada pela Câmara Municipal de Castro Verde e Associação de Atletismo de Beja, com o apoio da União de Freguesias de Castro Verde e Casével, Bombeiros Voluntários de Castro Verde, Cruz Vermelha Portuguesa – Núcleo de Castro Verde e G.N.R., a prova pretende reunir os atletas dos escalões de benjamins, infantis, iniciados, juvenis, seniores e veteranos e simpatizantes da modalidade, numa manhã dedicada ao atletismo.
Agendada para este dia está também a Caminhada “Feliz Ano Novo”, que tem início na Praça da República, a partir das 10h00.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

SERPA: Cantar aos Reis

Cante aos Reis
Dia 5 de janeiro
Org: União das Freguesias de Salvador e Santa Maria

Apoio: Câmara Municipal de Serpa

ALANDROAL: Exposição Incluarte


Vendas Novas vai correr a S. Silvestre

Corrida São Silvestre 2016 – Casa do Benfica em Vendas Novas
Dia 30 de Dezembro 2016, às 21h00, Parque Desportivo Municipal de Vendas Novas
Horário:às 21h00
Localização: Parque Desportivo Municipal de Vendas Novas
Corrida São Silvestre 2016 – Casa do Benfica em Vendas Novas
Dia 30 de Dezembro 2016, às 21h00, Parque Desportivo Municipal de Vendas Novas
Corrida de 7km
Corrida de 4 Km
Inscrições: benfica.casavendasnovas@hotmail.com

Exposição "Monsaraz antes da História - vestígios de um povoado na Idade do Bronze"

Exposição de arqueologia
Horário:
segunda a quinta-feira: 10h30-13h00 | 16h00-22h00; sexta-feira a domingo: 10h00-23h00
Patente ao público até 10 julho de 2017
Localização: Museu do Fresco
A exposição “Monsaraz antes da História - Vestígios de um povoado da Idade do Bronze”, que estará patente no Museu do Fresco, pretende divulgar junto do grande público parte da História da Vila de Monsaraz que permanece, ainda em grande parte, desconhecida. Esta exibição centra-se na escavação arqueológica realizada pela Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz e pela Associação Portanta na área traseira da Casa da Inquisição, em Monsaraz, local em que se identificaram os vestígios da mais antiga ocupação humana desta povoação, datados de cerca de 2000 anos antes da construção do seu castelo.
No entanto, para uma melhor contextualização destas importantes descobertas, a exposição inicia-se por fazer referência à realidade que era vivida pelas populações no fim do III / inícios do II milénio a.C.. Nesta época, o sistema magico-simbólico, social e produtivo conhecido até então transforma-se, nascendo uma nova sociedade, que abandona os antigos sítios, mantendo, no entanto, a sua ligação aos antepassados através dos velhos monumentos megalíticos que pontuavam a paisagem do atual concelho de Reguengos de Monsaraz.

MONFORTE: Festa da Passagem de Ano


ODEMIRA: Exposição de arte contemporânea experimental na Biblioteca Municipal

Entre os dias 17 de dezembro e 14 de janeiro, a Exposição de Arte Contemporânea Experimental “Ponto” vai estar patente ao público na Biblioteca Municipal José Saramago, numa iniciativa da Associação Cultivamos Cultura e do Município de Odemira.
A inauguração da exposição decorrerá no dia 17 de dezembro, sábado, pelas 15.00 horas.
Comissariada por Marta Menezes, e promovida pela Associação Cultivamos Cultura, a exposição reúne os trabalhos das residências artísticas que foram acontecendo durante a primavera e verão na sede da associação, em S. Luís, em conjunto com peças selecionadas de outras coleções, na área nos novos media.
Conta com trabalhos de Andrew Carnie (UK), Anna Isaak-Ross (US), António Caramelo (PT), Carolyn Angleton (US), James Higgins (US), Kira O’Reilly (IR/FI), Maria Lúcia Cruz Correia (PT/BE), Marta de Menezes (PT), Miguel Palma (PT), Nigel Helyer (UK/AU), Ricardo Guerreiro Campos (PT) e StratoFyzika (PT/US/BE).

A exposição poderá ser visitada até ao dia 14 de janeiro, de segunda a sexta-feira, no horário 10.00 / 18.00 horas.

CASÉVEL: Cantar ao Menino com as Vozes do Imaginário

Em tempo de se cantar ao Menino, Janeiras e Reis, as “Vozes do Imaginário” dão voz ao vasto repertório das polifonias femininas da tradição portuguesa, de norte a sul do país, interpretando cantos que, carregados de humanidade, habitam ainda o imaginário da ancestral tradição das festas do ciclo natalício.
28 DEZ | Igreja Matriz de Casével | 21h30 
Org: Câmara Municipal de Castro Verde.

Colaboração: União de Freguesias de Castro Verde e Casével. ACA - Vozes das Terras Brancas. Paróquia de Casével.

ALERTA! Desflorestação em Portugal é uma das mais elevadas do Mundo

Quercus considera que atual Reforma das Florestas não conseguirá travar este problema
 Recentemente o senhor Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Florestas, Luís Capoulas dos Santos, referiu que Portugal foi o único país da União Europeia que perdeu área florestal nos últimos 15 anos, situação lamentável que devia ser invertida.
Segundo os dados do Ministério, Portugal perdeu cerca de 150 000 hectares nos últimos 15 anos, contudo, existem outras organizações internacionais que referem  um valor mais elevado.
 Para além dos dados da FAO e do Eurostat, relativos a 2015, que indicam a acentuada desflorestação, também a Global Forest Watch (GFW), um sistema interactivo de monitorização da floresta, revela dados preocupantes. Do mesmo modo, a associação portuguesa Acréscimo – Associação de Promoção ao Investimento Florestal tem lançado alertas sobre este assunto.
 Portugal é o quarto País do Mundo com maior desflorestação
 Os dados da Global Forest Watch, para Portugal, colocam o nosso País no quarto lugar entre os países com a maior taxa desflorestação. Entre 2001 e 2014, Portugal perdeu 566.671 hectares de floresta e, entre 2001 e 2012, ganhou 286.549 hectares, o que revela menos 280.122 hectares de área florestal.
No topo dos países com maior perda percentual de coberto arbóreo (a) está a Mauritânia (99,8%), seguida do Burkina Faso (99,3%), da Namíbia (31,0%) e de Portugal (24,6%).
A situação é mais preocupante para o nosso país pois apenas três países apresentam pior desempenho do que Portugal, e todos eles têm vastas regiões desérticas e ou estão na orla de desertos.
Esta alteração do uso do solo florestal está associada principalmente a conversões para zonas urbanas, turísticas e industriais, novas infraestruturas como auto-estradas e barragens e, como é óbvio, os incêndios florestais recorrentes que têm consumido várias centenas de milhares de hectares de floresta em cada década recente.
Para apurar os valores da diminuição da área florestal era essencial existir uma revisão actualizada do Inventário Florestal Nacional, recorrendo a novas tecnologias, situação que tarda em avançar.
 A Quercus considera que o Governo, na Reforma das Florestas, que está actualmente em consulta pública não avançou com medidas para contrariar este grave problema da diminuição da área florestal.

 Florestas Primárias em risco de desaparecer em Portugal
 As Florestas Primárias (b) são muito residuais em Portugal e ocupam apenas cerca de 1% da nossa área florestal.
Em particular risco estão os últimos carvalhais primários de folha caduca que todos os anos vêem diminuída a sua área com abate de carvalhos centenários para lenha e cultivo de cogumelos, ou são vítimas da expansão de outras culturas.
 Estas florestas primárias são o principal depósito da biodiversidade e de património genético de grande parte da flora e fauna autóctone do nosso país.
 Por esse motivo, a Quercus pediu já ao Governo que crie legislação para a proteção dos carvalhais em Portugal.
(a) – São consideradas apenas as áreas florestais com mais de 30% de cobertura arbórea.
(b) – São florestas primárias aquelas que se encontram no seu estado natural e cuja existência não depende da atividade humana.
Lisboa, 26 de Dezembro de 2016
A Direção Nacional da Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

MORA: Exposição de Presépios na Casa da Cultura


MONFORTE: Passagem de Modelos


ARRONCHES: Leitura de peça "Orfãos"

Local : Auditório do Centro Cultural de Arronches

Entrada Gratuita - ALTERAÇÃO DE HORÁRIO - O evento tem início às 17 horas

Arraiolos mostra Máquinas de costura antigas

Exposição - Centro Interpretativo Mundo Rural Vimieiro
A máquina de costura foi uma das primeiras grandes invenções tecnológicas com aplicação no quotidiano das pessoas comuns. A ideia de costurar através de uma máquina surgiu ainda no século
XVIII. Inúmeros inventores desenvolveram projetos e patentearam novos modelos de máquinas de costura, contudo, nenhum deles se revelaria suficientemente prático para se generalizar o seu uso e comercialização.
Seria apenas em 1850, nos Estados Unidos da América, na cidade de Boston, que um mecânico, ator de teatro e inventor chamado Isaac Merrit Singer, desenvolveu uma ideia que consistia na substituição da agulha curva por uma reta, fazendo a lançadeira mover-se em vaivém e não em círculos, o que permitia a costura em qualquer sentido e não apenas em linha reta.
Isaac Singer registou a patente no dia 12 de agosto de 1851 e continuou a aperfeiçoar a sua máquina de costura até à data da sua morte, em 1875, criando ainda um pedal de acionamento e uma forma contínua de alimentação das rodas, conseguindo que as suas máquinas revolucionassem o milenar processo de recortar, modelar, armar e unir pedaços de tecidos para confeção de roupas.

De uma forma muito rápida a produção e aquisição de máquinas de costura Singer e de outras marcas que entretanto foram surgindo no mercado, principalmente alemãs, mas também portuguesas como a marca Oliva, cresceu exponencialmente por todo o mundo até ao ponto de quase todas as casas de família do século XX terem uma, onde se cosia e se dava largas à imaginação.

MARVÃO: Passagem de Ano no Centro Cultural


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

NISA: Concerto de Boas Festas


Valores do Sítio de Sines em Exposição

Com o projeto VALORES DO SÍTIO DE SINES, o Centro Cultural Emmerico Nunes procura incentivar a produção local, através da regular criação de condições para a sua divulgação.

SARDOAL: Festival de Curtas-Metragens no Centro Cultural Gil Vicente

O Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal, recebe no próximo dia 21 de dezembro, pelas 21h30m, o Festival de Curtas-Metragens designado “O Dia Mais Curto”.
A iniciativa do Espalhafitas, com o apoio do Município de Sardoal, irá apresentar a sessão “Europa em Curtas”, traduzindo-se numa oportunidade para os espectadores ficarem a conhecer autores europeus e alguns dos filmes mais premiados nos últimos anos. Na tela serão exibidas sete curtas-metragens: “Nuggets” (Alemanha), “Amor de Inverno” (Itália - Espanha), “Adeus Mr. De Vires” (Holanda), “Planeta Sigma” (França), “Import” (Holanda), “Mães em Chamas” (Suécia) e “Home” (Kosovo – Reino Unido).
A iniciativa “O Dia Mais Curto” nasceu em França em 2011, realizando-se em simultâneo, em dezenas de países de todo o mundo. O Centro Cultura Gil Vicente associa-se a esta ação desde que a mesma se realiza em Portugal, ou seja, desde há três anos. 
O fenómeno astronómico, conhecido como solstício de inverno, que ocorre a 21 de dezembro e que corresponde ao dia mais curto do ano, inspirou a ideia de se utilizar este dia para a promoção das curtas-metragens, incentivando-se à realização de sessões públicas em diversos locais. Este ano aderiram à iniciativa 34 concelhos de todo o país.
A entrada é gratuita, mas sujeita a levantamento de bilhete.

HUMOR EM TEMPO DE CÓLERA

Ambição desmedida
Cartoon de Henrique Monteiro in http://henricartoon.blogs.sapo.pt

AVIS: Município vai construir Centro de Recolha de Animais

O Município de Avis, no decorrer das suas obrigações legais, e, no âmbito da defesa da saúde pública, da integridade física de pessoas e animais e do meio ambiente, vai avançar com a obra de construção de um Centro de Recolha de animais – Canil Municipal.
O albergue, alocado num terreno de sua propriedade, situado junto ao Parque de Máquinas e Viaturas do Município, deverá apresentar, numa primeira fase, uma estrutura modelar de três boxes, com uma área coberta de 1,82 m2 e uma área descoberta de 2,5 m2, cada, com capacidade para receber dois animais de raça grande/média e três de raça pequena, em cada uma delas, permitindo a criação de condições para o abrigo/alojamento temporário de animais abandonados ou errantes, capturados na via e em locais públicos.


A área coberta será servida por um estrado de madeira elevado para que a lavagem do solo possa efetuar-se de forma célere, sendo o encaminhamento das águas residuais orientado, por inclinação no pavimento em cimento afagado, para uma manilha de recolha, em betão.
O número de boxes a construir prende-se com a necessidade de separar fêmeas e machos e possuir uma cela devidamente encerrada das restantes, não só para animais que necessitem de estar em quarentena, como também para fêmeas em período de incubação.
A obra, cujo projeto foi elaborado pelo Departamento de Obras, Urbanismo e Serviços Urbanos do Município de Avis, será executada por Administração Direta.

BELVER: Convívio de Natal


MARVÃO: O "Aqui há livro" está de volta!

Nesta quadra natalícia (19 de dezembro a 8 de janeiro), o Município de Marvão vai disponibilizar, gratuitamente, livros para todas as idades, em vários locais da vila. Basta procurar as placas alusivas a esta iniciativa e levar um dos livros disponíveis. Após a leitura, pode devolver o livro no Posto de Turismo, ou então ficar com ele, desde que ofereça outro em troca. Através desta ação, a autarquia pretende alargar e promover a sua oferta cultural, estimulando as pessoas a ler.
Como participar?
> Dirigir-se a um dos vários locais associados a esta iniciativa;
> Levar o livro que se encontra disponível;
> Após leitura, poderá devolver o livro em qualquer estabelecimento aderente ou ficar com ele, desde que ofereça outro em troca;
> Caso pretenda oferecer livros, deverá dirigir-se ao Posto de Turismo;
> Se entender, pode dar a sua opinião sobre a iniciativa, dirigindo-se ao Posto de Turismo ou partilhando-a nas redes sociais.
Para saber mais sobre a iniciativa: 245 909 131 / turismo@cm-marvao.pt

domingo, 18 de dezembro de 2016

Natal com muita animação no concelho de Reguengos de Monsaraz




BEJA: Jorge Fernando em Noite de Fados Solidária


Monforte fechou dádivas de sangue 2016




O mapa 2016 das colheitas sob responsabilidade da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – chegou ao seu términus. No total foram 29 as brigadas realizadas, cujo itinerário alcançou 14 localidades.
Na última iniciativa deslocaram-se 38 voluntários até aos Bombeiros de Monforte, 22 dos quais do sexo feminino. Como se pode constatar fechámos o ano com números dignos de realce. E ainda para mais as mulheres estiveram em franca maioria (57,9%). Os exames de saúde, submetidos aos presentes, ditaram que três pessoas não pudessem estender o braço.
Estrearam-se a doar sangue um voluntário de cada sexo, o que também enaltecemos.
Num restaurante local foi servido o almoço convívio, que contou com o apoio da Câmara Municipal de Monforte.
Boas Festas
Em nome da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre deixamos a todos, em especial à grande família dos doadores, votos de um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. E que em 2017 não faltem gestos generosos que se transformem em Dádivas de Sangue.
A ADBSP iniciará o novo ano com as seguintes colheitas: Nisa, na sede dos Bombeiros, a 07 de janeiro; Avis, nos Bombeiros, a 14 de janeiro.
As nossas colheitas acontecem em sábados, da parte da manhã.

JR

VIDIGUEIRA: Município presta tributo às associações do concelho

A Câmara Municipal de Vidigueira junta neste domingo, todo o movimento associativo do concelho, data em que lhe presta também, tributo.
O Município de Vidigueira considera que as associações culturais, desportivas e recreativas desempenham um papel fundamental no processo de participação dos cidadãos na vida pública, sendo intervenientes privilegiados no fortalecimento da identidade comunitária e no acesso das populações à ocupação dos tempos livres e no desenvolvimento e valorização pessoal e por tudo isto decidiu, fazer, em 2016, um tributo ao associativismo. Helena D'Aguilar, a vice-presidente da Câmara de Vidigueira, explica como vai ser feito este tributo e porquê.
O tributo é prestado hoje, dia em que se realiza, no Pavilhão Multiusos de Vidigueira, o almoço que reúne todo o movimento associativo do concelho.

Recorde-se que o Município de Vidigueira faz a atribuição anual de um subsídio financeiro destinado a incentivar as atividades desenvolvidas regularmente e que em 2016, concedeu ao movimento associativo do concelho cerca de 51 mil e 500 euros.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

AVIS: "O Natal da Minha Terra" em todas as freguesias

De 13 de dezembro a 6 de janeiro, "O Natal da minha terra" vai chegar a todas as Freguesias/Uniões de Freguesias do Concelho e desafia crianças, pais, educadores e público em geral a participarem nas mais belas Festas preparadas pelas Ludotecas Municipais de Avis e pelo Agrupamento de Escolas de Avis, para celebrar a quadra natalícia.
O primeiro dia de programação vai ter início, às 18h30, com um desfile de figuras de Presépio pelas crianças da Ludoteca de Ervedal intitulado "Nataliando", no Salão da Junta de Freguesia.
A 14, quarta-feira, a partir das 16h00, quem comanda a Festa é a Ludoteca de Benavila com a dramatização da história "Afinal, quem é o Natal?", no Salão da Casa do Povo, e, a 15, o evento passará para o Salão da Junta de Freguesia de Alcórrego, para uma apresentação de "O Natal tem talentos", protagonizada pelas crianças frequentadoras da Ludoteca de Alcórrego, através de danças, declamação de poemas e música.
No dia 17, pelas 16h00, chega ao Salão da Junta de Freguesia de Figueira e Barros "O Natal das bruxas", e, no dia seguinte, às 18h00, o Salão da Junta de Freguesia de Aldeia Velha abrirá as suas portas para receber "A árvore de Natal da Aldeia".
No dia 6 de janeiro, Dia de Reis, o espírito natalício estará em alta no Auditório Municipal "Ary dos Santos" onde, a partir das 21h30, será levada à cena uma adaptação do Conto de Alice Vieira "Leandro, o Rei da Helíria", numa interpretação das crianças da Ludoteca Municipal de Avis.

"O Natal da minha terra" irá contar com o apoio das Freguesias/Uniões de Freguesias do Concelho.

ALTER DO CHÃO: Concerto de Natal na Igreja Matriz


SINES: Residência artística dos Mbongwana Star

Os Mbongwana Star regressam a Sines após a sua participação no FMM Sines - Festival Músicas do Mundo 2016.
Os projetos dos congoleses e do artista Caleb Rimtobaye (Afrotronix) encontram-se numa residência artística na cidade de Sines, nos estúdios da Escola das Artes do Alentejo Litoral.
Como resultado deste encontro apresentam-se ao público na Capela da Misericórdia, no dia 17 de dezembro, às 23h30.
Diretamente de Kinshasa e Montreal para Sines, um espetáculo único e a não perder.

O espetáculo é uma organização da Escola das Artes do Alentejo Litoral, com a parceria do Município de Sines, 3dFamily, Mukalo Productions, Roadies DC e Mbongwana Star.

AVIS: Workshop "Natal com Arte"

O Workshop “Natal com Arte”, organizado pelo Município de Avis, através da Biblioteca Municipal José Saramago, vai decorrer no dia 17 de dezembro, pelas 16h00, na Sala de Adultos da BMJS, no âmbito da iniciativa “12 Meses 12 Temas”, mensalmente realizada pela Biblioteca Municipal.
A atividade, dirigida à população em geral, tem como objetivo o ensino das artes decorativas, permitindo aos participantes a construção de centros de mesa natalícios, a partir de conceitos simples de criação e utilização de materiais naturais (pinhas, folhas, ramos, etc.), materiais recicláveis (cartão, papel, plástico), velas de cores variadas, fitas e outros enfeites que proporcionarão um brilho especial à mesa de Natal.

A participação nesta ação, ministrada por Clara Guerra, tem um custo de 2€ por pessoa, devendo as inscrições ser efetuadas, até ao dia 16 de dezembro, na BMJS.

"Diário do Alentejo" evoca 40 Anos do Poder Local Democrático


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

VILA NOVA DA BARONIA: Almoço Solidário


ÉVORA: Do Silenciamento à Reação - Práticas artísticas para a eliminação da violência contra as mulheres

Exposição patente ao público d 24 de Novembro até 9 de Janeiro 2017
Horário: 10h30 - 18h00
Localização: Pousada de Juventude de Évora
No nosso país, embora exista um esforço continuado em diversos domínios para prevenir e combater a violência contra as mulheres, são ainda muitas e variadas as lacunas associadas a estas tentativas. Sabendo que, na realidade, esse tipo de violência é fruto de uma organização social hierarquizada, na qual as mulheres, e também as crianças e os jovens, têm uma posição subalterna em que, além disso, existe um fosso entre a igualdade legislativa e a igualdade de facto entre as pessoas, um grupo de docentes do Departamento de Artes Visuais e Design da Escola de Artes (DAVD/EA) e do Centro de História de Arte e Investigação Artística (CHAIA) da Universidade de Évora, com o incentivo, energia e suporte da Câmara Municipal de Évora, traçou um projeto artístico com o objetivo de melhorar a resposta ao fenómeno da violência. Este projeto, tendo como propósito principal a informação, sensibilização e educação dos jovens, foi abraçado por docentes, funcionários, alunos e membros da comunidade envolvente. Coordenação: Prof. Auxiliar Teresa Furtado (DAVD/CHAIA/CICSNOVA); Prof. Auxiliar Paula Reaes Pinto (DAVD/CHAIA/CIAUD); Prof. Auxiliar Paulo Maldonado (DAVD/CITAD/CIAUD); Mestranda Ana Rita Silva (DAVD)
Org: Câmara Municipal de Évora | DAVD/EA/UE, CHAIA/UE
Parcerias: “Associação dos Amigos da Criança e da Família | Associação Chão dos Meninos de Évora | “ASM - Associação Ser Mulher” de Évora | Observatório Nacional de Violência de Género do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.
APOIOS:        Hangar Criativo, Pokopy.
Contactos: 266 706 050

ALPALHÃO: Concerto de Natal na Igreja Matriz

Dia 17 de Dezembro concerto de Natal na Igreja Matriz com o grupo Coral de Vale do Peso às 20h30.
Dia 18 Eucaristia animada pelos escuteiros do Porto. — em Freguesia de Alpalhão.

MARVÃO: Presépio Vivo em iniciativa da Maruam

A Maruam - Associação de Jovens tem o prazer de o/a convidar para estar presente na inauguração do Presépio Vivo 2016. Esta iniciativa decorre no dia 17 de Dezembro, pelas 14h, na Igreja do Espírito Santo em Marvão.

Audição e Concerto da Escola de Música do Município de Avis

A Escola de Música do Município de Avis organiza, no próximo dia 17 de dezembro, a sua 4.ª Audição e Concerto, no Auditório Municipal “Ary dos Santos”.
O espetáculo, dividido em duas partes: a 4.ª Audição, às 16h00, e o Concerto, às 21h30, será orientado por Euclides Silva, António Vilas Boas e Carlos Poeiras, tendo como objetivo dar a conhecer ao público o trabalho desenvolvido pela Escola, na vertente de aprendizagem de diversos instrumentos, nomeadamente, de Fole (Acordeão e Concertina), de Percussão (Bateria) e de Cordas (Baixo, Guitarra, Piano e Viola) e canto.

O Município de Avis convida toda a população a assistir a este espetáculo que contará com um vasto repertório de temas alusivos à celebração do Natal, bem como de outros clássicos bem conhecidos do público, e com a exibição de um Coro que embalará os cânticos a diversas vozes.

ÉVORA: Bloco em Sessão Pública "Universidade: Estudantes ou Clientes?"


terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Marcas da Inquisição em Évora: acervos do Museu e da Biblioteca Pública

O Tribunal do Santo Ofício da Inquisição começou a funcionar de forma continuada em Portugal em 1536. Perdurou até 1821. Neste intervalo foi uma instituição marcante na sociedade portuguesa. Em nome da ortodoxia e com a adesão de praticamente todos os grupos sociais, contribuiu fortemente para a uniformidade ideológica. Ninguém estava teoricamente excluído da sua jurisdição.
A bula que introduziu o Santo Ofício em Portugal foi publicada em Évora, cidade onde, por essa altura, se encontrava a Corte.
Évora foi também sede de um dos quatro tribunais de distrito da Inquisição portuguesa. Hoje é a urbe que conserva maior património edificado sobre esta instituição e que importa dar a conhecer e valorizar.
É por esta razão que hoje, em tempos de tolerância e de interesse pelo Património local e do mundo, o convidamos a visitar parte desse acervo, o que se encontra no Museu e na Biblioteca Pública.
Horário:
Terça a Domingo das 09h30 às 17h30
Inicio do Evento: 20 outubro
Fim do Evento: 31 dezembro
Localização: Museu de Évora
No ano em que se assinalam os 480 anos da instalação do Tribunal do Santo Ofício em Portugal, o CIDEHUS, em conjunto com a Biblioteca Pública de Évora, o Museu de Évora, a Fundação Eugénio de Almeida e a Câmara Municipal de Évora, organiza uma exposição que pretende dar a conhecer alguns dos tesouros guardados no Museu e na Biblioteca. Estes objetos permitem fazer a História de uma das instituições mais marcantes da sociedade portuguesa entre os séculos XVI a XVIII.
Convidamo-lo a participar!
O Tribunal do Santo Ofício da Inquisição começou a funcionar de forma continuada em Portugal em 1536. Perdurou até 1821. Neste intervalo foi uma instituição marcante na sociedade portuguesa. Em nome da ortodoxia e com a adesão de praticamente todos os grupos sociais, contribuiu fortemente para a uniformidade ideológica. Ninguém estava teoricamente excluído da sua jurisdição.
A bula que introduziu o Santo Ofício em Portugal foi publicada em Évora, cidade onde, por essa altura, se encontrava a Corte.
Évora foi também sede de um dos quatro tribunais de distrito da Inquisição portuguesa. Hoje é a urbe que conserva maior património edificado sobre esta instituição e que importa dar a conhecer e valorizar.
É por esta razão que hoje, em tempos de tolerância e de interesse pelo Património local e do mundo, se apresenta esta exposição, constituída por parte do acervo que se encontra no Museu e na Biblioteca Pública.
A iniciativa é organizada pela Direção Regional de Cultura do Alentejo - Museu de Évora, CIDEHUS - Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora e Fundação Eugénio de Almeida, com o apoio da Câmara Municipal de Évora e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Évora.
Org.: Direção Regional de Cultura do Alentejo - Museu de Évora, CIDEHUS - Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora e Fundação Eugénio de Almeida
Contactos: Telef.266730480 | E-mail: mevora.secretariado@cultura-alentejo.pt | Site: http://www.museudevora.pt/
Apoios: Câmara Municipal de Évora e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Évora.