sexta-feira, 31 de março de 2017

Espectáculos evocam 30 anos da morte de José Afonso



AVIS: Jogos concelhios- Torneio da Malha

No âmbito da realização da iniciativa "Viva o Desporto" – Jogos Concelhios de Avis 2017, a Casa do Povo de Ervedal contando com o apoio do Município de Avis e da Freguesia de Ervedal organiza, no próximo dia 1 de abril, pelas 17h00, um Torneio de Preparação de Jogo da Malha que terá lugar, no Campo da Feira, em Ervedal.
Ainda dentro deste campo de ação, o Jogo da Malha prosseguirá com a Fase Concelhia, no dia 22 de abril, a partir das 17h00, na Cooperativa 21 de fevereiro, em Benavila, numa organização da Sociedade Recreativa Benavilense que contará com o apoio do Município de Avis e da União de Freguesias de Benavila e Valongo, integrado nas Comemorações do 25 de abril de 2017, com vista ao apuramento de 10 duplas vencedoras que irão representar o Município de Avis na Final Distrital dos Jogos do Alto Alentejo 2017, a realizar, no dia 27 de Maio, às 9h00, no Parque da Piedade, em Elvas.
As inscrições serão efetuadas no local.
Agarre este desafio. Participe!~

XV Mostra de Teatro do concelho de Monforte

Sousel vai a Lisboa ver "Amália", o musical de Filipe La Féria


PONTE DE SOR: Conferência com o Prémio Nobel da Paz 2015

 No próximo sábado, 1 de abril, e por ocasião da reunião anual das cidades da rede do Festival 7Sóis7luas, que vai decorrer em Ponte de Sor durante todo o fim de semana, dois acontecimentos vão marcar a tarde. Às 15:30 h, no Centro de Artes e Cultura, a inauguração da exposição "Espaços, Atmosferas e Cores D'Essaquira Mogador", de Fatima Bikerrouane, Slimane Drissi e Mohamed El Mountassir. Uma hora mais tarde, 16:30 h, no Teatro- Cinema de Ponte de Sor, a conferência " Transição Democrática na Tunísia: Realidade e Perspetivas", proferida por Mohamed Fadhel Mahfoudh (Tunísia), Prémio Nobel da Paz 2015.
O quarteto constituído pela União Geral Tunisina do Trabalho (UGTT), a União Tuinisina da Indústria, Comércio e Artesanato (UTICA), a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia e a Liga de Defesa dos Direitos Humanos ganhou em 2015 o Prémio Nobel da Paz.
O Comité Nobel norueguês atribui o Nobel de 2015 ao Quarteto para o Diálogo Nacional da Tunísia, pela sua decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país no rescaldo da revolução Jasmim de 2011, que levou à queda do presidente Bem Ali, no cargo desde 1987.
Com início na Tunísia em 2010 -2011, a Primavera Árabe rapidamente alastrou a vários países no norte de África e Médio Oriente. Em vários destes países, a luta pela democracia e direitos fundamentais chegou a um impasse ou sofreu retrocessos.
A atribuição deste nobel assenta em duas ideias: encorajar e servir de exemplo.
O advogado Mohamed Fadhel Mahfoudh é bastonário da Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia e vai proferir a conferência " Transição Democrática na Tunísia: Realidade e Perspetivas".

Avis assinala o Dia Mundial do Teatro

"O Candidato Perfeito", a história de uma agência de emprego que pretende recrutar candidatos para o preenchimento de uma única vaga existente, a de pastor, levada à cena pelo Grupo de Teatro Amador "Somos Nós", é a comédia teatral que irá subir ao palco do Auditório Municipal "Ary dos Santos", na noite de sexta-feira, 31 de março, num espetáculo que assinala o Dia Mundial do Teatro, em Avis.
A peça, em estreia, junta, pela primeira vez, André Barradas, Francisco Cordeiro, João Vitorino, Dália Rasquete, Filomena Bonito, Filomena Moreira, Isa Matias, Isabel Ruth, Josiane Nascimento e Maria Custódia Lageira num elenco completado com a participação especial da Ludoteca Municipal de Avis.

O espetáculo, de homenagem a esta arte de palco, com entrada livre, vai contar com o apoio do Município de Avis, Santa Casa da Misericórdia de Avis e da Dardico - Agro Industria S.A.

ALTER DO CHÃO: Festa do Cavalo

Está a chegar mais uma grande Festa do Cavalo e III Feira Agropecuária da EPDRAC...
Este evento realiza-se de 22 a 25 de Abril.
O mês de Abril em Alter do Chão tem vindo, nos últimos anos, a assumir-se como mês dedicado às tradições equestres e tauromáquicas da região sendo, para o Município de Alter do Chão, um mês de promoção turística do Concelho.
Fichas de Inscrição e Condições de participação para expositores disponíveis brevemente no site do Município. Para mais informações contacte o Posto de Turismo de Alter do Chão (Casa do Álamo): 245 610004 ou cultura@cm-alter-chao.pt

ARRONCHES: Ações de educação em Esperança

"Os Amigos da Esperança" levam a cabo ações de formação em colaboração com o Município de Arronches, com a Junta de Freguesia de Esperança e com a associação "Coração Delta".
A Associação Cultural e Desportiva "Os Amigos da Esperança" organiza nos próximos dias 5, 6 e 7 de abril uma ação de educação ambiental, seguida de ateliers de expressão artística, teatro, dança, robótica e programação. Estes ateliers realizam-se entre as 10h e as 12h30 e as 13h30 e as 16h nas instalações da Escola Primária de Esperança.
Estes ateliers destinam-se a crianças entre os 7 e os 13 anos, com as inscrições a terem lugar na Junta Freguesia de Esperança, que colabora na organização no evento, bem como o Município de Arronches e Associação de Solidariedade Social "Coração Delta".

BORDEIRA: Fado e Revista à Portuguesa no 81º aniversário da Sociedade Recreativa Bordeirense


Vimos por este meio convidar o órgão de comunicação social que V.Exa. elevadamente dirige, para nos acompanhar no octogésimo primeiro aniversário da Sociedade Recreativa Bordeirense, bem como à estreia da récita teatral, intitulada "Allgarve ainda é Portugal".
O aniversário ocorrerá no dia 1 de abril, pelas 20:30, com jantar e espetáculo de Fado e Acordeão, onde Nelson Conceição e Melissa Simplício actuarão em conjunto com várias surpresas e muitas emoções.
A estreia da récita terá lugar no dia 8 de Abril, pelas 21:00, na sede da sociedade, em Bordeira - Santa Bárbara de Nexe - Faro.
Por uma questão de organização, caso seja do vosso agrado este convite, agradecemos que nos indique com pelo menos 2 dias de antecedência a vossa disponibilidade em nos acompanhar nalguma destas actividades, cujos cartazes se anexam.
Para mais informações contacte-nos pelo 965 892 011.

quinta-feira, 30 de março de 2017

VILA DE FRADES (Vidigueira): Baile da Pinha


Virgem Suta têm novo álbum

A banda bejense Virgem Suta está na estrada a apresentar o seu novo álbum intitulado “Limbo”. A digressão inicia-se em Lisboa, com um espetáculo agendado para o próximo dia 31, no Centro Cultural de Belém. Para já, e para o Alentejo, está marcado um concerto em Moura, no próximo dia 1 de Abril.

Sardoal veste-se de roxo para receber Procissão dos Passos

A Vila de Sardoal voltará a vestir-se de roxo para receber a Procissão dos Passos do
Senhor, no próximo domingo, dia 2 de abril, cuja eucaristia terá início a partir das 15 horas.
À semelhança de anos anteriores, são esperadas milhares de pessoas que afluem à Vila para participar nesta emblemática Procissão. Com saída da Igreja Matriz, o Cortejo integra o Sermão do Encontro, na Praça da República, que culmina com o Encontro das imagens do Senhor dos Passos e da Sua Santíssima Mãe. A Procissão prossegue, depois, com as duas imagens a caminho do Convento de Santa Maria da Caridade, onde é proferido o Sermão do Calvário.
Toda a Procissão decorre ao som de marchas fúnebres, entoadas pela Filarmónica União Sardoalense. Para esta manifestação religiosa, a Câmara Municipal de Sardoal coloca cerca de uma centena de faixas roxas nas janelas e varandas das ruas principais e disponibiliza transporte em autocarro à população de todas as freguesias que pretenda participar nas cerimónias.

BEJA: The Black Mamba em concerto no Pax Julia

A banda portuguesa The Black Mamba vai estar em Beja no próximo dia 1 de abril, para um espetáculo a realizar no Pax Julia Teatro Municipal, pelas 21 e 30 horas. O trio é formato por Pedro Tatanka (voz e guitarra), Ciro Cruz (no baixo) e Miguel Casais (na bateria) e a sua formação remonta ao ano de 2010. Com uma sonoridade própria, que resulta da fusão de vários estilos musicais, como a soul music, o blues e o funk, a banda apresenta em Beja o seu segundo álbum, Dirty Little Brother, composto por concertos acústicos.

Portel recebe 11.º Congresso das Açordas

Valorizar e divulgar “um dos pratos mais característico, rico e variado da gastronomia alentejana” é o objetivo principal do 11.º Congresso das Açordas, evento que decorrerá entre sexta-feira, 31, e domingo, 2 de abril, no Terminal Rodoviário de Portel, numa organização da câmara municipal local. O programa reserva, entre outras propostas, o colóquio “Novas tendências da gastronomia: os produtos biológicos para uma cozinha tradicional autêntica e de qualidade” (hoje, 15 horas), uma feira gastronómica e de produtos regionais, exposições e concursos. No plano musical destaque para as atuações dos fadistas Anabela, Marco Rodrigues,  Diamantina, José Gonçalez e Pedro Calado (hoje, 21 horas), grupos Coral Juvenil de Monte do Trigo e Cante Tradicional Alentejano Os Almocreves (1 de abril, 13 horas), Quim Barreiros (1 de abril, 21 horas); e Grupo Coral e Instrumental Voz Ativa de Santana e Tuna da Universidade Sénior de Portel (2 de abril 13 horas).

Primavera na colheita de sangue em Alpalhão






Em manhã imensamente reconfortante, a Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – marcou presença em Alpalhão.
Rumaram até à sede do Grupo Ciclo Alpalhoense 37 voluntários, sendo 14 do sexo feminino. Por questões de saúde alguns não puderam estender o braço, mas sempre foram angariadas 30 unidades de sangue.
Três mulheres e dois homens deram sangue pela primeira vez na vida. O Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea cresceu em três novos voluntários.
Tratou-se de uma manhã primaveril muito movimentada e com números motivadores. E depois, cinco novos dadores é sempre motivo de regozijo, ou não fora esta a terra do nosso saudoso Presidente António Eustáquio.
O José Maria Martins pensava que se ia despedir como dador, mas afinal ainda tem pela frente mais um ano. Referiu-nos que deu sangue pela primeira vez em 1977, para um amigo que estava no Hospital Distrital de Portalegre. Hoje já tem 33 dádivas concretizadas, mas não vai ficar por aqui. Quem vai deixar de canalizar veias em Alpalhão é a Enf. Ana Maria, que já se mostrava nostálgica com o aproximar de uma nova fase da sua vida.
A família Freire foi quem fechou a jornada: ao todo cinco elementos doaram sangue.
Muitos dos presentes quiseram saber outras datas de brigadas que se realizem por perto, a fim de doarem sangue novamente daqui a algumas semanas.
A Junta de Freguesia de Alpalhão apoiou a realização do almoço convívio que decorreu num restaurante da localidade. Aliás a Presidente da Junta, Ana Cecília Manteiga Carrilho, acompanhou de perto a colheita.
Arronches a 08 de abril
A ADBSP vai estar em Abril: Arronches sábado 08 na sede do Rancho Folclórico; Sousel dia 22, nos Bombeiros. Atenção que por razões logísticas estas duas colheitas mudaram de data, relativamente à calendarização inicial, As nossas brigadas realizam-se aos sábados da parte da manhã.
Siga-nos em: www.facebook.com/groups/AdbsPortalegre

JR

Município de Reguengos de Monsaraz vai criar Centro de Acolhimento Turístico na vila medieval de Monsaraz

A vila medieval de Monsaraz vai ter um centro de acolhimento turístico no edifício da Casa da Universidade de Évora e uma extensão desse centro na Casa da Roda/Casa do Berço. A autarquia candidatou o projeto “Centros de Acolhimento Turístico do Concelho de Reguengos de Monsaraz” ao FEDER no âmbito da operação “Centros de Acolhimento Turístico e Interpretativos de Évora e Alentejo Central”, focando a vila medieval enquanto principal núcleo de interesse turístico do concelho.
Assim, o Município de Reguengos de Monsaraz estabeleceu um contrato de comodato com a Universidade de Évora para a cedência gratuita do edifício durante 10 anos, e outro com a Santa Casa da Misericórdia de Monsaraz para o empréstimo da Casa da Roda/Casa do Berço por igual período, ambos prorrogáveis.
A Casa da Universidade de Évora vai receber obras de adaptação e beneficiação geral do edifício e do jardim, num investimento de cerca de 142 mil euros. O jardim, com vista para o Grande Lago Alqueva, será transformado em espaço de artes.
A Casa da Roda/Casa do Berço será adaptada a extensão do Centro de Acolhimento Turístico de Monsaraz e vai transmitir aos visitantes a memória histórica e cultural do edifício, que recolheu durante alguns séculos as crianças abandonadas na vila.
 José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, afirma que “há algum tempo que tínhamos verificado que faltava um espaço em Monsaraz que recebesse condignamente os cerca de 100 mil turistas de muitas nacionalidades que anualmente visitam a vila medieval. Com este projeto, vamos adaptar dois edifícios para criar um centro de acolhimento e uma extensão de turismo, consentâneos com a riqueza histórica e patrimonial da vila e adequados para informar e acolher devidamente todos os visitantes”.

Beja na Rua regressa, Ney Matogrosso abre e Miguel Araújo encerra

De 16 de Junho a 15 de Julho, Beja volta à rua para mostrar a sua Alma Criativa.
Está de regresso o Beja na Rua, Festival de arte pública que celebra as artes na rua. Promovido pela Zarcos – Associação de Músicos de Beja, em parceria com associações e entidades do concelho, a iniciativa é uma aposta de Beja na afirmação das indústrias criativas, que fazem desta cidade uma montra para criadores locais e convidados, onde a cultura local se funde com o que de melhor se faz ao nível nacional e internacional.
Espectáculos musicais, animações de rua, intervenções de arte urbana, exposições, performances de dança e poesia, "workshops", serão uma constante durante as quatro semanas em que decorre o Festival e que reúne em Beja muitos artistas.
Miguel Araújo, um dos artistas mais completos da nova geração da música portuguesa, é o nome escolhido para o grande concerto de encerramento do Beja na Rua a 15 de Julho, depois de confirmada a abertura deste festival com Ney Matogrosso a 16 de Junho.
Cantor, músico e compositor, deu-se a conhecer n’Os Azeitonas, a banda portuense que aos poucos se foi afirmando como um dos mais interessantes fenómenos de culto do panorama nacional com temas como “Anda Comigo Ver os Aviões”ou “Quem és Tu Miúda”.
Há meses, juntamente com António Zambujo, atingiu o recorde de 28 concertos com lotação esgotada nos Coliseus de Lisboa e Porto, tendo esse mesmo espectáculo esgotado três vezes no Pax Julia – Teatro Municipal de Beja.
Miguel Araújo atingiu a marca de Disco de Ouro com “Cinco Dias e Meio” e “Crónicas da Cidade Grande”. Actualmente, Miguel Araújo encontra-se a trabalhar no sucessor de “Crónicas da Cidade Grande” que apresentará na Praça da República, em Beja, a 15 de julho.

Beja na Rua. é uma celebração: das artes na rua.

ÉVORA: Abril é mês de Comemorações no Armazém 8


Há Liberdade, há língua Portuguesa e ao Alentejo!
Para saberem mais consultem a página do Armazém 8, não se vão arrepender!
http://armazem8.associarte.pt/eventos/
Começamos logo Sábado, dia 1 de Abril...e é mesmo verdade!
Com a Exposição de Luis Marino com a homenagem ao Alentejo no mesmo dia
a música do Brasil e de Portugal liga-se para homenagear a Língua Portuguesa com Joana Capelo Pires e João Fernandes.
Um Sábado imperdível!

SARDOAL: Jorge Serafim conta "Histórias sem Fronteiras"

Jorge Serafim, reconhecido comediante de stand-up, narrador e contador de histórias, marcará presença no Centro Cultural Gil Vicente, no dia 31 de março, com “Histórias sem Fronteiras”. A sessão terá lugar às 21h30m com entradas gratuitas.

PORTALEGRE:Blogue da tapada da Escola José Régio está em destaque no Portal das Escolas

O Portal das Escolas do Ministério da Educação tem um catálogo de Blogues Educativos, onde o Blogue da Tapada está em destaque.
No Blogue da Tapada da Escola Básica José Régio em Portalegre divulgam-se as atividades relacionadas com esse espaço. A Tapada da Escola é um terreno contíguo à escola, vedado com uma rede, com uma área de mais de dois hectares, com um ecossistema de montado de sobro, onde existe uma grande biodiversidade.
No «Blogue da Tapada» relatam-se diversas atividades de Educação Ambiental, o desenrolar do projeto premiado da Fundação Ilídio Pinho “A Tecnologia para melhor conhecer a Tapada da Escola”, desenvolvido pela turma do PIEF 2016/17, e outras iniciativas como o Minuto Verde da Quercus gravado no local. São também divulgados os trabalhos elaborados pelos alunos dos diferentes graus de ensino referentes às atividades realizadas nas visitas à tapada em dias comemorativos, como o Dia da Floresta Autóctone, ou nas aulas de Ciências Naturais.
O Portal das Escolas do Ministério da Educação é o sítio de referência das escolas e constitui a maior rede colaborativa em linha da educação em Portugal. O Portal das Escolas destina-se às comunidades educativas da Educação Pré-Escolar e dos ensinos Básico e Secundário, designadamente a docentes, a alunos, a pais e a encarregados de educação e a não docentes. As escolas do País estão presentes no Portal das Escolas, com informação relevante para o público, como a sua localização, contactos e oferta educativa.
A Direção Geral da Educação transmitiu à Direção do Agrupamento os parabéns pela qualidade do trabalho e pelo dinamismo do projeto que o blogue evidencia.

sábado, 25 de março de 2017

ANTOLOGIA DA POESIA ALENTEJANA (3)

Ode ao Cantador Alentejano (1955)

A terra deu-te cansaços,
prendeu-te as mãos à charrua,
lavrou-te em sulcos o rosto.
E tu, cantador, de braços
abertos à luz da lua,
quentes pelo sol de Agosto,
sentes na dor que te espanta
subir-te a alma à garganta,
à cor morna do sol-posto.

E a canção nasce, e é tanta
a tristeza que a possui,
que em alma a dor se dilui
num monótono desgosto...

“Pus-me a chorar saudades
ao pé da fonte, um dia...”
(Quem faz badalar Trindades
com tanta melancolia?)

“Mais choravam os meus olhos
que água da fonte corria...”
(Calai vossas mágoas fundas,
sinos de Santa Luzia!)

Vamos, cantador, levanta
à lonjura que te aguarda
a voz colorida e nobre
- que é tua a Terra-Mãe parda
e o céu azul que te cobre!

Vamos, cantador, não temas:
soltar à planura deserta
a voz que não quer algemas,
serenamente liberta
na noite que te circunda:
que o coração é mais forte
e a seiva borbulha funda!...

A terra deu-te cansaços.
Mas na largueza dos prados,
sob os mudos sobreirais,
marcas ao som de compassos
 e ritmos cadenciados
o ondular dos trigais,
a fundura dos cabeços
e o verde dos olivais!

E a canção, tornada ânsia,
passeia o cume dos montes,
galga o azul da distância,
enche os largos horizontes.
.......................................
Deus deu-te esta terra nua,
que é terra de todos nós,
e quando a mágoa te espanta
sobe-te a alma à garganta
e sai transmudada em voz!...
Domingos Janeiro (1955)

In A Planície, Ano V, nº 96, Moura, 1/7/1956 

sexta-feira, 24 de março de 2017

Corrida pedestre Monsaraz Natur Trail vai ter 1300 participantes de Portugal, Espanha, Inglaterra e Brasil

 A corrida pedestre Monsaraz Natur Trail, que vai decorrer no dia 26 de março, com partida às 9h junto ao Convento da Orada, próximo da vila medieval de Monsaraz, terá 1300 participantes de Portugal, Espanha, Inglaterra e Brasil. Esta prova organizada pelo terceiro ano consecutivo pelo Grupo Desportivo Piranhas do Alqueva com o apoio da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz vai ter percursos de 44, 22 e 10 quilómetros de extensão e uma caminhada de oito quilómetros.
 O Monsaraz Natur Trail pretende dar a conhecer o património histórico e paisagístico do concelho de Reguengos de Monsaraz. No Trail Curto de 10 quilómetros haverá 407 participantes, no Trail Longo de 22 quilómetros há 502 inscrições confirmadas e no Trail Ultra vão correr 186 atletas. Na caminhada de oito quilómetros estão inscritos 200 participantes.
O Convento da Orada é o local de partida e de chegada das provas. A vila medieval de Monsaraz, a Ermida de São Bento, a Fonte da Colaça e a localidade de Motrinos são alguns dos pontos interessantes para assistir às provas.
O Monsaraz Natur Trail vai ter como padrinhos Ezequiel Ezi, atleta alentejano que venceu a Rock’n’Roll Maratona de Lisboa, e Carmen Henriques, uma das atletas mais acarinhadas a nível nacional pela sua simpatia.
Nuno Machado, diretor da prova, considera que “a edição deste ano do Monsaraz Natur Trail é a confirmação do nascimento de mais um evento de alto nível no Alentejo, passando a ser um dos maiores Trails do centro e sul do país. A presença de mais de 300 espanhóis confirma também a internacionalização desta prova. Os dados estão lançados, agora faremos tudo para todos os participantes saírem satisfeitos de Monsaraz”.
José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, afirma que “é com muita satisfação que o concelho recebe esta prova com 1300 participantes, constituindo-se como a maior competição desportiva do ano da região, e que evidencia a excelente atividade e dinamismo do associativismo em Reguengos de Monsaraz. Felicito o Grupo Desportivo Piranhas do Alqueva pelo êxito que atingiu com o Monsaraz Natur Trail e que ficou claramente demonstrado pela enorme recetividade dos atletas que se inscreveram este ano, pois com apenas duas edições realizadas conseguiu mobilizar um número surpreendente de participantes”.

SINES: Encontro de Poetas Populares

A Biblioteca Municipal de Sines promove um encontro de poetas populares este sábado, 25 de março, às 21h00, no auditório do Centro de Artes de Sines.
Estarão presentes os poetas Alda Broncas, António Courelas, Dulce Gomes, Maria Antónia Rodrigues, Mário Montes, Raquel Cruz e Teresa Palmeira.
Os poetas Antónia Romão, Biana e Carolina Palminha e Domingos Casa Branca não poderão estar presentes, por razões de saúde, mas serão evocados. Os seus textos serão lidos por Cristina Fernandes.
Será feita uma homenagem ao poeta Aleixo dos Santos, que faleceu recentemente.
O encontro terá momentos musicais, da responsabilidade do Quarteto de Cordas Comboio Descendente, formado por Caio Oshiro, Miguel Pyrrait, Helder Mónica e Rita Ramos.
Os vídeos e a direção geral do recital são da responsabilidade de Luís Cruz.
Esta iniciativa, integrada nas comemorações do Dia Mundial da Poesia, tem como objetivo celebrar a poesia popular e contribuir para a preservação e valorização desta arte, bastante enraizada no concelho de Sines.

Os bilhetes são gratuitos.

MONFORTE: Formação "O livro na Primeira Infância - O que escolher? Como contar?"


Idanha apresenta 27 candidaturas na corrida às 7 Maravilhas de Portugal®

Já são conhecidas as aldeias candidatas às 7 Maravilhas de Portugal®, concurso que este ano é dedicado às Aldeias. O Município de Idanha-a-Nova foi o que maior número de candidaturas submeteu: 27 para 21 povoações.
Foram apresentadas candidaturas a todas as sete categorias deste concurso nacional, incluindo a Aldeias de Mar, categoria em que Penha Garcia, fértil em vestígios fósseis, conta a história da vida nesta região há 480 milhões de anos, quando era um imenso mar onde reinavam as trilobites e seus predadores, num impressionante mundo de biodiversidade aquático.
 A diversidade, a tradição e as potencialidades de todo o concelho estão, portanto, agora a concurso, nas categorias Aldeias-Monumento, Aldeias Autênticas, Aldeias Rurais, Aldeias Ribeirinhas, Aldeias em Áreas Protegidas, Aldeias Remotas e Aldeias de Mar.
Pela sua especificidade, Idanha-a-Velha, Monsanto e Penha Garcia concorrem em três categorias distintas. A estratégia para as restantes aldeias foi a candidatura à categoria onde demonstram maior potencialidade.
 «Com esta candidatura pretendemos chegar a todo o País, e apresentar um Município alternativo aos centros urbanos, uma região plena de oportunidades. Nas nossas aldeias-candidatas encontramos património histórico, natural e gastronómico. Encontramos pessoas. Gente que aqui permaneceu, ou que confiou em nós e para cá se mudou no âmbito de programas de incentivo por nós lançados, como o Recomeçar. As nossas candidatas espelham uma Idanha inspirada e renovada, sem perder a tradição e a portugalidade que tão bem nos caracterizam», explica o Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, acrescentando que é «um orgulho ser o Município com o maior número de candidaturas».
 Fortes candidatas em todas as categorias, as 21 aldeias idanhenses beneficiam de uma estratégia de desenvolvimento apoiada na modernização da ruralidade, a par de um importante histórico no rol de distinções. A aposta na riqueza natural e histórico-cultural ímpar de Idanha-a-Nova, território UNESCO com uma ruralidade de excelência, faz parte da estratégia do Município. Idanha-a-Nova é, ainda, Cidade Criativa da UNESCO, no âmbito da Música, tem duas aldeias na Rede de Aldeias Históricas de Portugal e integra o Parque Natural do Tejo Internacional (Reserva da Biosfera da UNESCO) e o Geopark Naturtejo, Geoparque Mundial da UNESCO.
As candidatas Idanhenses às 7 Maravilhas de Portugal®:
* Aldeias-Monumento (Idanha-a-Velha, Monsanto e Penha Garcia);
* Aldeias Autênticas (Aldeia de Santa Margarida, Idanha-a-Velha, Medelim, Monfortinho, Monsanto, Penha Garcia e São Miguel de Acha);
* Aldeias Rurais (Alcafozes, Ladoeiro, Monsanto, Oledo, Proença-a-Velha, Toulões e Zebreira);
* Aldeias Ribeirinhas (Idanha-a-Velha e Termas de Monfortinho);
* Aldeias em Áreas Protegidas (Rosmaninhal, Salvaterra do Extremo e Segura);
* Aldeias Remotas (Cegonhas, Coutos do Correias, Soalheiras e Torre);
* Aldeias de Mar (Penha Garcia).

AVIS: Noite de Fados Solidária

A Santa Casa da Misericórdia de Avis, contando com o abraço solidário do Município de Avis, do Rancho Folclórico de Avis e de outras entidades sediadas no espaço concelhio, organiza, no próximo dia 25 de março, uma Noite de Fados Solidária.
O espetáculo, com início, às 21h30, na Casa do Povo, em Avis, tem como finalidade a angariação de fundos destinados a apoiar aquela Instituição que tem como missão a promoção e o desenvolvimento de respostas sociais na defesa dos mais necessitados e vulneráveis.
Para esta noite, com entradas pagas através de um "contributo solidário", reservados estão já muitos momentos de música com a atuação de um prestigiado elenco de artistas como António Cachudo, Paula Cruz, Maria Custódia e outros convidados, que darão voz ao fado, acompanhados pela Viola de Alexandre Gomes e pela Guitarra Portuguesa de Nuno Cirilo.
Seja solidário. Abrace esta causa!

FMM em Sines: De Marrocos a Porto Rico, mais música confirmada

O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo sempre foi um festival de descobertas e voltará a sê-lo na sua edição de 2017, que se realiza de 21 a 29 de julho em Sines e Porto Covo. De África, Médio Oriente, Sudeste Asiático, Américas e Europa, estão confirmados mais nove concertos, de artistas que começam agora a chegar aos públicos internacionais da música ao vivo ou que estão finalmente a receber o reconhecimento merecido.
A-WA (lê-se ei-uá) é um trio de irmãs nascidas no sul de Israel que funde o folclore iemenita judaico com a música de dança. Descobertas por Tomer Yosef (Balkan Beat Box), com quem trabalharam no disco de estreia, Tair, Liron e Tagel Haim cantam poemas de amor e protesto em dialeto arábico iemenita. São um dos grupos em mais rápida ascensão da música de dança de textura global.
BCUC (por extenso: Bantu Continua Uhuru Consciousness) é uma banda na tradição da música de protesto do Soweto, África do Sul. Fazem música afropsicadélica (a que dão o nome trava-línguas “Africangungungu”), expressa em longas digressões funky movidas por baixo elétrico, voz e percussão. Cantam em zulu, sotho e inglês e não hesitam quando é preciso denunciar o lado menos colorido da Nação Arco-Íris.
Den Sorte Skole é o duo de produtores e compositores dinamarqueses Simon Dokkedal e Martin Højland. Os seus espetáculos são “sinfonias” dançáveis criadas a partir de samples de discos de todos os géneros e de todas as partes do mundo. Mais do que DJ sets, são esculturas sonoras feitas a partir de colagens de fragmentos da herança musical da humanidade. Serão acompanhados pelo artista visual Dark Matters.
ÌFÉ é o projeto musical de Otura Mun, cantor, produtor e percussionista que do estado americano do Indiana voou para Porto Rico, onde está radicado desde os anos 90. Sacerdote do culto de Ifá da religião ioruba, Otura incorpora na sua música de dança de matriz R&B o contributo dos ritmos afrocaribenhos e dos cantos sagrados da sua fé. Depois de vários singles de grande sucesso, o seu álbum de estreia é lançado em 2017.
A cultura de raiz ioruba subjaz à proposta criativa de outro concerto do FMM Sines 2017. Metá Metá (que significa “três ao mesmo tempo” na língua ioruba) é um trio de São Paulo que junta Juçara Marçal, na voz, Thiago França, no saxofone, e Kiko Dinucci, na guitarra. Música afro-brasileira, jazz e grandes culturas musicais africanas – Marrocos, Etiópia, Níger e Mali – inspiram o seu disco mais recente, “MM3”.
N3rdistan é um quarteto liderado pelo cantor marroquino Walid BenSelim. A música do grupo recolhe elementos na música eletrónica, no rap e da poesia de grandes autores do Levante. Com a rapper Widad Brocos, Walid dialoga em ritmo sincopado no dialeto darija, que aprendeu nas ruas de Casablanca. A flauta de Benjamin Cucchiara e a bateria de Cyril Canerie dão substância instrumental ao som do grupo.
Em 2017, prossegue com Romperayo a visita anual do FMM Sines à nova música colombiana. Romperayo é um quarteto instrumental que faz regressar a Sines o percussionista Pedro Ojeda, que já cá tinha estado com Los Pirañas. É ele quem marca o ritmo alucinogénico desta incursão pelos sons psicadélicos da cumbia dos anos 70 e por outros ritmos tropicais fundidos com a música eletrónica e com o jazz.
Simply Rockers Sound System é um sistema de som móvel português inspirado nos mestres que construíram os primeiros sound systems na década de 50 do século passado nas ruas de Kingston, na Jamaica. Ativo desde 2012, o Simply Rockers Sound System divulga o passado, o presente e o futuro da música roots rock reggae dub através de sessões de dança com Ernesto Honesto, Natty Fred e Joydan.
The Barberettes é um trio de Seul que recupera a tradição dos grupos de doo-wop dos anos 50 e 60. São uma divertida e despretensiosa viagem no tempo até à idade de ouro dos agrupamentos de harmonias vocais e ao estilo Barbershop (de onde vem o seu nome). A sua principal referência são The Kim Sisters, outro trio sul-coreano de doo-wop, que fez fama e carreira nos EUA há mais de cinco décadas.
Foto A-WA (c) Hassan Hajjaj

“Campaniça do Despique”o álbum do concerto de Pedro Mestre no CCB

Já à venda o álbum de Pedro Mestre “Campaniça do Despique” com o concerto de Pedro Mestre no Centro Cultural de Belém a 22 de Setembro.
“Campaniça do Despique” é o título do álbum e do concerto, que Pedro Mestre apresentou no dia 22 de Setembro de 2015, no Grande Auditório do CCB.
O concerto evocou o mais belo do Cante Alentejano e o genuíno toque da viola campaniça, que desde sempre acompanhou os cantes de improviso no Alentejo, que surgiam de modo espontâneo em festas, romarias, nas tabernas e que ainda hoje acontecem, embora de modo organizado e performativo.
Há 20 anos a cantar a música tradicional do Alentejo, pioneiro do projecto de salvaguarda do Cante, fundador e ensaiador de corais alentejanos, Pedro Mestre é um dos principais responsáveis pelo surgimento de novas gerações na música tradicional do Alentejo, levando o Cante Coral alentejano para as Escolas, onde desde 2006 ensina a tradição a alunos do 1º ciclo, em várias escolas do Baixo Alentejo.
Como um dos grandes impulsionadores e embaixadores da música e das tradições do Alentejo, e depois da edição de vários trabalhos discográficos com os diversos grupos que integra, passados vinte anos desde que iniciou o seu percurso musical, Pedro Mestre decide lançar um trabalho em nome próprio - "Campaniça do Despique" - com a participação de alguns colegas e amigos: Janita Salomé, António Zambujo, Rui Vaz (Gaiteiros de Lisboa), Fábia Rebordão, Jorge Fernando, Guilherme Banza, Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de S. Bento, Cantadores do Sul, Campaniça Trio, Tânia Lopes, Vasco Sousa e José Manuel David (Gaiteiros de Lisboa).
Nesse concerto, que aconteceu no CCB, a 22 de Setembro de 2015, Pedro Mestre apresentou temas inéditos, da sua autoria, com vários convidados, que se apresentaram, também, com temas do seu reportório, assim como temas do cancioneiro tradicional alentejano que ganharam um novo fôlego.
Janita Salomé, Jorge Fernando, Fábia Rebordão, Henrique Leitão, Rancho de Cantadores da Aldeia Nova de São Bento, grupo Quatro ao Sul, Banda Filarmónica 1º de Janeiro de Castro Verde e os bailarinos António Guerreiro e Inês Firmino, foram alguns dos convidados que partilharam o palco do CCB, com Pedro Mestre, numa noite de sala cheia onde a tradição e inovação caminharam lado a lado. Para ver, ou rever, no DVD "Pedro Mestre Convidados".

Zita Ferreira Braga in www.hardmusica.pt 21/3/2017

quinta-feira, 23 de março de 2017

PONTE DE SOR: Conferência pelo Prémio Nobel da Paz - 2015


Reguengos de Monsaraz assinala a Hora do Planeta e desliga as luzes dos Paços do Concelho e do Auditório Municipal

As luzes do Auditório Municipal e do edifício dos Paços do Concelho de Reguengos de Monsaraz vão estar apagadas no dia 25 de março entre as 20h30 e as 21h30 para assinalar a Hora do Planeta. Esta iniciativa da organização não-governamental World Wide Fund iniciou-se em 2007 em Sidney, na Austrália, e consistiu numa tomada de posição contra as alterações climáticas.
 No ano passado, este movimento de sustentabilidade global chegou a milhões de pessoas em 178 países e territórios e teve a adesão de mais de nove mil cidades e vilas, entre as quais 110 municípios portugueses. Para além do contributo para uma ação positiva pelo ambiente, o Município de Reguengos de Monsaraz pretende também valorizar o conceito de astroturismo e a certificação Dark Sky Tourism Destination atribuída a esta região pela UNESCO, que atesta a ausência de poluição luminosa e as condições ímpares para observar o céu durante a noite.
A Hora do Planeta é uma ação à escala mundial promovida pela World Wildlife Found que pretende incentivar, de forma simbólica, cidadãos e comunidades, para se unirem com o objetivo comum de um futuro sustentável para o planeta, assinalando o seu compromisso desligando as luzes nesta data e adotando comportamentos diários que contribuam para amenizar as alterações climáticas.
Este ano os embaixadores da Hora do Planeta são a apresentadora Leonor Poeiras, Paula Bollinger, o casal Mónica e Rubim, Joana Seixas, Sylvie Dias, Sandra Cóias, Diana Bouça-Nova, Ana Luisa Barbosa, Quimbé, Mário Franco, Mafalda Matos, Margarida Pinto Correia, Pedro Lima, Ana Luisa Barbosa, Ana Galvão e Nuno Markl.

34ª Ovibeja promete longas e intensas Ovinoites

A Ovibeja abre, mais uma vez, os concertos de Primavera com um grande projeto da música nacional e internacional. Orelha Negra é o nome do quinteto constituído por João Gomes, Francisco Rebelo, Fred, Samuel Mira e Dj Cruzfader que dão vida a um dos projectos musicais mais empolgantes dos últimos anos.
Porque as noites de Ovibeja tendem a ser longas e intensas, a primeira noite da 34ªOvibeja encerra com Señor Pelota! Amante do vinil, dono de uma colecção impressionante – e invejável – que abrange territórios verdadeiramente ecléticos, do House ao Techno, do Funk ao Disco passando pelo Kraut.
A 28 de Abril, 2º dia da Ovibeja, os sons da noite cantam-se com Sangre Ibérico. Saídos da última edição do Got Talent Portugal, revelaram-se um dos mais interessantes projetos musicais surgidos nos últimos tempos.
A segunda noite da Ovibeja 2017, a 28 de Abril, conta ainda com o grande nome do panorama musical português, Miguel Ângelo. Depois de 25 anos de carreira com os Delfins, Miguel Ângelo inicia a sua carreira a solo. Com vários trabalhos lançados, o concerto ao vivo na Ovibeja resultará numa festa de convívio muito especial: a celebração de 33 anos de carreira.
Esta noite termina, madrugada dentro, com os Meninos da Vadiagem.
Na noite de 29 de Abril sobe aos palcos da Ovibeja um dos principais cantores da nova música portuguesa de expressão urbana: Agir.
A fechar a penúltima noite da Ovibeja 2017, 29 de Abril, CHRISTIAN F! Será o regresso a casa e às origens daquele que é considerado, por muitos, o melhor dj do sul e um dos melhores djs nacionais!
Na última noite da Ovibeja, 30 de Abril, o palco principal da grande feira do Sul volta a receber Anselmo Ralph! Com a tournée O Amor é cego, Anselmo Ralph regressa à Ovibeja para mais uma noite cheia de surpresas, em que se comemora a Amizade, o Amor e a Esperança!
A madrugada da última Noite da Ovibeja, vai ser entregue a CYBERX.
 Os bilhetes já estão à venda e à distância de um clique. Através da Bilheteira Online os bilhetes de ingresso na Ovibeja podem ser adquiridos em qualquer local com acesso à Internet. Para tal basta aceder a um dos pontos de venda disponíveis, entre eles o site da Ovibeja em www.ovibeja.pt. O bilhete diário confere acesso a todas as iniciativas do dia.
Com as portas abertas entre 27 de Abril e 01 de Maio, a 34ª Ovibeja afirma-se pela pluralidade, num espaço de festa, de partilha e de negócio onde todos se sentem parte integrante. Esta edição aposta na internacionalização dos produtos agro-alimentares de excelência, ao mesmo tempo que promove o artesanato tradicional e o cante alentejano como identidade de uma Terra que é Fértil na criação de mais-valias para a região e para o País.

A organização do evento é da responsabilidade da ACOS – Associação de Agricultores do Sul.

SARDOAL: Projeto Capela no espaço Cá da Terra

No âmbito da programação complementar da Semana Santa, o Espaço Cá da Terra, em Sardoal, vai acolher, entre 31 de março e 30 de abril, a exposição “Projeto Capela 2017”.
Realizada pelo quarto ano consecutivo, a mostra resulta num conjunto de trabalhos realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas deste Concelho, alusivos aos tapetes de flores da Semana Santa. De entre os 53 trabalhos selecionados para a exposição, um será escolhido para ser executado no chão da Capela do Senhor dos Remédios.
Na inauguração da exposição, que terá lugar no dia 31 de março, pelas 18 horas, serão entregues os diplomas aos participantes do concurso.
O Projeto Capela é enquadrado pelo Agrupamento de Escolas de Sardoal e tem o objetivo de estimular a criatividade e sensibilizar para a importância de se manterem as tradições no Concelho, envolvendo os alunos na Semana Santa.

NISA: Verdes em campanha para encerrar Almaraz

O Partido Ecologista Os Verdes lançou, no passado dia 9 de março, uma grande campanha para encerrar a Central Nuclear de Almaraz!
Esta iniciativa visa dar oportunidade aos portugueses, nomeadamente à população que em caso de acidente seria a mais atingida, isto é a população dos concelhos fronteiriços e ribeirinhos do Tejo, de afirmar a sua vontade de que a Central Nuclear de Almaraz seja encerrada, subscrevendo um apelo nesse sentido.
Este apelo dirigido ao 1.º Ministro Português e ao Presidente do Governo Espanhol é expressado através da assinatura de dois postais que se anexa, conta já com cerca de 2 milhares de assinaturas.
A recolha destas assinaturas foi lançada publicamente, simultaneamente nos cinco Distritos Ribeirinhos do Tejo.
Depois de terem estado na capital de distrito, agora Os Verdes estarão domingo, durante a manhã, a partir das 9h30h, em Nisa, Junto ao Mercado Municipal, para continuarem a recolher assinaturas.
Domingo - 26 de Março
9h30h – Mercado Municipal de Nisa

terça-feira, 21 de março de 2017

ANTOLOGIA DE POESIA ALENTEJANA (2)

Serpa do Vento Suão
Os rostos que passam, cansados, nas ruas
Enrugados pela seca e pelo tempo que escorre devagar
São rostos sem tempo, à margem do tempo
Que condena a margem esquerda, que esmaga sem parar.

Para além do Odiana e antes da fronteira
Desperta a tua alvura que invade o meu olhar.
A tua solidão é esventrada dodesterro
É cântico da terra que greta pelo vento
Suor de um povo em terra a naufragar.

O contraste esbate-se na tua vida quieta
Que esconde a história longa de sonhos deserdados
Traços gravados nas alvas casas térreas
No perfil seguro das casas senhoriais
Nas soberbas oliveiras carcomidas pelo tempo
Na sóbria compostura de teus amuralhados.

Cercam-te as securas dos longos estios
Soprados no suave serpentear das searas
Pelos cálidos ventos Suão.
Choram de saudade as pedras das calçadas
Dos cascos dos muares, agora quase ausentes
Do seu matraquear lento e compassado
Arrastando as horas nas tardes de Verão.

Vestes negras, rostos cansados
A terra seca, quase desolada
Os passos não se atropelam
É lenta, é insegura, quase sem esperança
A caminhada.

Na fronteira dos esquecimento e da memória
Para além do Odiana, àquem de Andaluzia
Os ventos queimam terra, são o fogo
Não sopram donde sopra a maresia.
JAO

FRONTEIRA: Meia-Maratona Atoleiros


14º Portalegre Jazz Fest

Na sua 14ª edição, o Portalegre JazzFest volta a abrir o seu programa à diversidade do jazz dos nossos dias, tendo como único denominador comum dos vários projectos apresentados precisamente a sua contemporaneidade. São muitas as pontes estabelecidas pelas formações que vão actuar no CAEP – do jazz com a sua própria história e com uma ideia de futuro, do jazz com a pop, a folk, a música clássica contemporânea, a música livremente improvisada, o rock e o mais que venha a propósito ou mesmo a despropósito, sem tabus. Se o segundo fim-de-semana do festival é dedicado à cena norueguesa, com projectos fortes como Ballrogg e Friends & Neighbors, o jazz nacional marca igualmente uma relevante presença. A parceria entre João Hasselberg e Pedro Branco tem levantado algumas consideráveis ondas por onde passa e a que junta Pedro Sousa e Gabriel Ferrandini vai fazer-se sentir nas próprias ruas de Portalegre, pois irá tocar para os transeuntes, sem se fazer anunciar. Como é de tradição, com todo este jazz chegam provas de vinhos e produtos regionais, na ideia de que alimentar os ouvidos funciona melhor quando também há uns petiscos para o estômago e uma boa pinga do Alentejo.
24 MAR. SEX. 21.30H
SHELTER
14º Portalegre JazzFest | GA | 6 €  / Passe 20 € (com oferta de 4 CDs) | M/4 anos
NATE WOOLEY Trompete
KEN VANDERMARK Saxofones tenor e barítono, clarinete
JASPER STADHOUDERS Baixo elétrico e guitarra
STEVE HEATHER Bateria
O projeto Shelter é apresentado pelos seus músicos como “o som do futuro, agora”. E assim é de facto, ainda que as premissas da música que tocam venham do passado. Estão elas no free jazz mais vernacular (aquele da transição da década de 1950 para a de 60 e que teve Ornette Coleman como principal arquiteto), e no pós-punk dos anos 1980, representado por bandas como This Heat ou The Fall.
O grupo é novo, mas decorre de uma série de cumplicidades anteriores e paralelas à sua constituição. Wooley e Vandermark (este no seu regresso ao Jazzfest), têm um duo desde 2013, já com dois álbuns editados. Vandermark e Stadhouders trabalham juntos nos Made to Break desde 2014, e o rasto que este coletivo está a deixar teve no início de 2017 o seu quinto disco. Por sua vez, Heather  contribui decisivamente para o International Improv Ensemble, de Jasper Stadhouders (do qual, acrescente-se a título de curiosidade, faz parte o português Luís Vicente). Ou seja, se a fórmula Shelter está fresca ainda, beneficia do sólido conhecimento que os seus promotores têm uns dos outros, e daí que cada um pareça adivinhar o que os demais vão fazer a seguir. Energia, liberdade e arrebatamento são as palavras-chave para descrever a música elétrica e cheia de riffs destes quatro magníficos.

25 MAR. SÁB. 21.30H
João Hasselberg & Pedro Branco
14º Portalegre JazzFest | GA | 6 €  / Passe 20 € (com oferta de 4 CDs) | M/4 anos
JOÃO HASSELBERG Contrabaixo
PEDRO BRANCO Guitarra
AFONSO CABRAL Voz
ALBERT CIRERA saxofone
JOÃO PAULO ESTEVES DA SILVA Piano
JOÃO LENCASTRE Bateria
A revista online norte-americana All About Jazz escreveu sobre o álbum “Dancing Our Way to Death” que é difícil definir a música que nele é tocada. Tenta a designação “jazz de câmara”, à falta de melhor rótulo, acrescentando ainda que o disco tem tanto de folk e de rock quanto de jazz, em linha, de resto, com o que ouvimos nos mais recentes projetos de João Hasselberg e Pedro Branco. E o que ouvimos interseta a tradição do jazz, aceita contributos da música dita clássica, incorpora o formato da canção popular e atravessa tudo isso com uma atitude renovadora a que não é estranho um conhecimento das vanguardas do jazz e de outras músicas urbanas do nosso tempo.
Diz esta parceria de músicos de Lisboa que a sua premissa foi, e é, “não excluir nenhum caminho interpretativo à partida”. E acrescenta: “tentámos ter presente uma liberdade entre nós dois, durante a criação e a execução, e ao mesmo tempo passá-la aos outros músicos que convidámos para esta aventura”. No palco, com eles, estará a maior parte do grupo que os acompanhou no estúdio, designadamente Afonso Cabral, Albert Cirera, João Paulo Esteves da Silva (de volta ao Jazzfest) e João Lencastre, todos eles conhecidos por não terem uma visão monolítica do jazz. Ou seja, a música que se vai ouvir ao vivo, tal como no CD, desfez-se de preconceitos e ganhou originalidade.
24 e 25 MAR. SEX e SÁB. 23.30H
PeterGabriel
14º Portalegre JazzFest | Bar Gémeos | Entrada Livre | M/12 anos
PEDRO SOUSA Saxofone tenor
GABRIEL FERRANDINI Bateria
O duo de Pedro Sousa e Gabriel Ferrandini existe praticamente desde a adolescência de ambos os músicos, quando se conheceram na linha de Cascais e começaram a ouvir discos e a tocar juntos. Se mais tarde cada um deles seguiu o seu próprio caminho (Sousa entregando-se à eletrónica, com o projecto OTO, partilhado com outro amigo de juventude que também ganhou projecção pública, Pedro Lopes; e Ferrandini, aterrando no jazz e na música livremente improvisada do Red Trio e do Motion Trio, de Rodrigo Amado, depois de ter experimentado o punk, o ska, a bossa nova e mais). O certo é que, volta e meia, foi surgindo a oportunidade de voltarem a essa célula de trabalho original, a primeira de todas. O nome PeterGabriel para os identificar surgiu entretanto, e com uma tónica de ironia. Não que o universo do antigo vocalista dos Genesis estivesse assim tão fora do seu alcance. Pedro e Gabriel fizeram concertos e gravaram discos com Thurston Moore, fundador dos lendários Sonic Youth, e com Johan Berthling, membro da banda de culto sueca Tape.
Pelo caminho, Pedro Sousa trocou o sampling e a guitarra elétrica dos seus inícios pelos saxofones, formulando uma linguagem herdeira das de Peter Brotzmann e Mats Gustafsson, com incorporação das técnicas extensivas e de respiração circular, que definem as novíssimas correntes da improvisação experimental (chegou a ter lições de Jean-Luc Guionnet); e Gabriel Ferrandini estabeleceu uma abordagem muito pessoal da bateria, toda ela feita de texturas e dinâmicas desenfreadas. O jazz é o seu chão comum, mas no que fazem estão todas as músicas que também amam, para além do jazz, indo da MPB ao hip-hop alternativo, com tudo o que se pode imaginar pelo meio. Só que não é fácil reconhecer cada uma, tão misturadas ficam e tão sem casca, sem aparência, porque o que lhes interessa é mergulhar fundo no miolo do som.
31 MAR. SEX. 21.30H
BALLROGG
14º Portalegre JazzFest | GA | 6 €  / Passe 20 € (com oferta de 4 CDs) | M/4 anos
KLAUS ELLERHUSEN HOLM Saxofones, clarinete & field recordings
ROGER ARNTZEN Contrabaixo
DAVID STACKENÄS Guitarra
Num tempo de misturas de linguagens musicais, o trio Ballrogg não só está em linha com a tendência geral, como leva esta a desfechos que, expostos em papel, parecem improváveis. A música tocada por Klaus Ellerhusen Holm, Roger Arntzen e David Stackenäs pode ser descrita como a combinação do tipo de jazz elaborado, mas aberto, cunhado por figuras históricas como Eric Dolphy e Paul Bley, com a new music não-linear e indeterminista de um Morton Feldman e aquilo a que se convencionou chamar de Americana, associando em si folk, country e blues.
Todas estas referências vêm do outro lado do Atlântico, mas juntas, e da maneira como as ouvimos, têm o traço distintivo da música criativa que nos dias de hoje está a ser praticada na Escandinávia – tanto assim que ninguém mais no mundo poderia fazer com que algo assim de tão bizarro resultasse tão natural. Não surpreende, aliás, que um dos discos deste grupo tenha como título “Swedish Country”. Mas há mais nos temas dos Ballrogg, para além destas coordenadas, evitando a formulação de uma simples receita pronta a ser indefinidamente reproduzida: algumas situações musicais têm um formato neoclássico, lembrando os Clogs, e outras ganham uma dimensão eletroacústica com características ambientais e de paisagismo sonoro que nos remete para Philip Jeck.
1 ABR. SÁB. 21.30H
Friends and Neighbors
14º Portalegre JazzFest | GA | 6 €  / Passe 20 € (com oferta de 4 CDs) | M/4 anos
ANDRÉ ROLIGHETEN Saxofone tenor e clarinetes
THOMAS JOHANSSON Trompete
OSCAR GRÖNBERG Piano
JON RUNE STRØM Contrabaixo
TOLLEF ØSTVANG Bateria
Quando muitos defendem que o free jazz não pode ser melódico, os Friends & Neighbors fazem o contrário. E quando se espalha a noção de que homenagear os grandes nomes dessa corrente histórica do jazz, designadamente Ornette Coleman (a quem pilharam o nome do grupo), Archie Shepp, Pharoah Sanders e John Carter, impede que se toque uma música própria dos nossos dias, os noruegueses André Roligheten, Thomas Johansson, Oscar Grönberg, Jon Rune Strøm e Tollef Østvang provam o contrário. Em poucos casos, como o deste projeto vindo da Escandinávia, se pode dizer que a música do presente é feita com um ouvido no passado e o outro no futuro.
O neo/pós-free jazz dos Friends & Neighbors professa uma ideologia coletivista, em que os indivíduos que o criam têm espaço para encontrar a sua liberdade pessoal. Podem todos estar harmolodicamente combinados, à maneira de Coleman, mas este quinteto é na realidade a soma dos que o integram. Quando é a diminuição que se decide, por subtração de vozes em determinadas passagens, permanece a identidade do conjunto. Este procedimento resulta numa música que é livre de facto, mas flui com a cadência permanente de um rio. Improvisar, com estes músicos, não é deixar as coisas ao acaso e sim tornar o acaso numa forma de determinação.

31 MAR e 1 ABR. SEX e SÁB. 23.30H
Party Knüllers
14º Portalegre JazzFest | Bar Clube Lounge | Entrada Livre | M/12 anos
FRED LONBERG-HOLM Violoncelo, guitarra, eletrónica
STÅLE LIAVIK Bateria
Party Knüllers, assim se chama o duo de jazz de “garagem” e experimental formado por Fred Lonberg-Holm, uma das figuras de proa da cena de Chicago, e por Ståle Liavik, uma das forças motrizes da improvisação norueguesa, caracterizado por “uma obsessiva e divertida necessidade de inventar e explorar novos sons e novas formas de comunicação musical”, segundo a imprensa especializada. A abordagem que Lonberg-Holm faz do violoncelo já foi comparada com o que faz Thurston Moore, o guitarrista dos já defuntos Sonic Youth (que vêm introduzindo no rock um enorme fascínio pelo free jazz). Como este, o seu estilo pessoal é rico em harmónicos fragmentados, proporcionados pelo uso extensivo do pedal de distorção e pela eletrónica. Liavik é, pelo seu lado, conhecido por dar tensão às situações musicais em que se insere, por meio do seu entendimento fragmentário do ritmo e da percussão.
Se a dupla é nova, as colaborações entre estes músicos vêm de trás, quando ambos tocavam nos VCDC, de Frode Gjerstad e Stine Janvin-Motland, nos Gorilla Ass Piano, de Per Zanussi e em formações de Keefe Jackson e Jim Baker. Neste jazz do século XXI, cabem o rock, a música de dança, a improvisação livre e muito mais, ou não fossem esses os ingredientes do entendimento jazz, tanto em Chicago como em Oslo, cidades de referência da atual música criativa. Só músicos como estes poderiam ter tocado tanto com os Wilco (Lonberg-Holm), como com Phil Minton (Liavik).